Restauração, troca ou sobreposição são opções para renovar sua casa, sem gastar muito e quebra-quebra

 

Está na hora de trocar o piso, mas os altos custos, o transtorno e até mesmo pelo imóvel ser alugado fazem você repensar nessa ideia. Saiba que o quebra-quebra não é o único jeito de resolver a questão. Existem soluções!

 

 

Restauração

O piso de madeira pode ser restaurado. É possível realizar a raspagem do verniz antigo para remover riscos, manchas e até mesmo consertar trincas. Além de evitar gastos com a troca de tacos e assoalhos e cooperar com o meio-ambiente, a raspagem garante um “piso novo” em menos tempo do que a remoção total. Entretanto, é preciso que a madeira já instalada possua pelo menos dois centímetros de espessura, para o revestimento não ser danificado. Feita a raspagem, basta aplicar novas camadas de verniz para garantir a sua total revitalização.

É importante saber se esse método de restauração já foi utilizado outras vezes. Um piso de madeira maciça e resistente - como ipê, jatobá e cumaru - suporta três raspagens sem danos. Tacos e assoalhos menos resistentes - como os de amêndola (bracatinga) e eucalipto - são candidatos à troca em caso de desgaste. Os estruturados e laminados não suportam esse procedimento e a reposição é a única opção.

 

 

Troca de pisos

Agora se for necessário trocar o piso, as opções mais baratas no mercado em pisos quentes são os estruturados e laminados. Pisos estruturados contém apenas uma camada de quatro milímetros de madeira nobre, sendo o restante de material reflorestado. Já os laminados podem não possuir nada de madeira. A maioria deles possui a aparência da matéria-prima por meio de impressões protegidas pelo overlay (película transparente resistente à abrasão e umidade).

 

Sobreposição

Porém, se o chão for revestido de azulejo, porcelanato ou outro produto de cimento/cerâmica, não há possibilidades de restauração. Para evitar o quebra-quebra, pode-se instalar o piso novo sobre o antigo. Hoje em dia, há argamassas colantes responsáveis por esse tipo de inovação da aparência do imóvel. No caso dos revestimentos frios, a argamassa especial para esse tipo de assentamento tem custo um pouco maior do que a tradicional. 

Para a sobreposição, o único cuidado que se deve tomar é em relação ao nível do chão. O novo piso não pode ser mais alto do que o espaço destinado às soleiras das portas. Há, no mercado, peças chamadas slim, que são cerâmicas fininhas perfeitas para esse tipo de reforma do pavimento. São um pouco mais caras do que as demais peças de cerâmicas, porém mais econômicas do que a opção quebra-quebra.

Outras opções de cobertura de pisos velhos são os revestimentos vinílicos, emborrachados, de cimento e resinas autonivelantes. São materiais menos resistentes, mas que garantem um bom visual ao imóvel. Mas é preciso considerar que revestir o chão com cimento ou resina autonivelantes demanda mão-de-obra especializada - o que pode encarecer o serviço.

 

    


O piso laminado é uma boa opção para troca                              
O piso de madeira pode ser restaurado                    
O piso vinílico autocolante também é alternativa

 

Essa foi mais uma dica do portal WebReforma para deixar sua casa renovada.

 

Entre em contato e encontre restauradores de piso, pedreiros, azulejistas, engenheiros, arquitetos, entre outros.

 

Fotos: Reprodução

 

COMPARTILHE:

Decorando Apartamentos Peq...

Oferecimento:

Piso Vinílico - Prós e con...

Oferecimento:

Como tirar riscos de pisos...

Oferecimento:

Aplicadora Colonial Persianas Souza Ecko Revestimentos

Voltar